A partir de hoje, vais recordar Thomas Edison todos os dias

20 de Abril de 2016

Thomas Alva Edison (Milão; Ohio, 1847 – West Orange; Nova Jersey, 1931) foi um dos personagens mais relevantes da história do século XX e fundamental para compreender o mundo tal como o conhecemos hoje, 85 anos depois da sua morte.

Já desde pequeno, Edison preocupava-se com todos os que o rodeavam. Bem, com todos aqueles que não fossem o diretor do seu colégio em Port Huron (Michigan), que o expulsou da instituição quando este tinha 7 anos por alegada “falta de interesse”. A sua mãe tomou, então, as rédeas da sua educação e, três aos mais tarde, com apenas 10 anos, Edison já havia instalado o seu primeiro laboratório, no sótão da sua casa, onde aprendeu as primeiras noções de química e de eletricidade.

O jovem Thomas andou às cegas na vida, devido a uma etapa de incerteza provocada pela Guerra da Sucessão (1861­1865), tentando a sorte em vários empregos. De facto, chegou a fundar um jornal, o Weekly Herald, até que, em 1868, registou a sua primeira patente, o contador elétrico de votos. A invenção foi apresentada perante o Congresso dos Estados Unidos, contudo os membros da célebre qualificaram o instrumento como um aparelho supérfluo e desprovido de uma verdadeira utilidade prática.

Foi aqui que Edison aprendeu uma das lições mais importantes da sua vida: “Uma invenção deve, acima de tudo, ser necessária.” E, desta forma, criou-se a lenda de um grande autor, dono de mais de um milhar de invenções. Neste sentido, propomos-te sete que utilizas diariamente e que, se calhar, não sabes que são da sua autoria ou que foi o culpado de outros que, mais tarde, apareceram.

1. Lâmpada incandescente

Toca o despertador, são sete da manhã. E a primeira coisa que fazes é acender a luz do teu quarte. Provavelmente, a lâmpada já não é incandescente, o que significa que produz luz através do aquecimento de um filamento. Desde 2012, é cada vez mais complicado encontrar este tipo de lâmpadas, porque não são muito eficientes: 85 por cento da energia transforma-se em calor, enquanto que apenas 15 por cento se torna em luz. Por isso, a União Europeia proibiu o seu fabrico e distribuição. Contudo, Thomas Edison foi quem introduziu o filamento de carbono no seu interior e que tornou comum a sua utilização fora do laboratório.

Este é considerado uma das invenções mais utilizadas pelo Homem até à data. No quartel de bombeiros de Livermore (Califórnia) reconhecem o feito com uma lâmpada de filamento incandescente que está acesa desde 1901.

1.lámpara

2. Papel parafinado

Depois do banho regulamentar da manhã, é tempo de tomar o pequeno-almoço, seja em casa, no café ou no escritório. O papel em que a maioria dos alimentos está envolta, o papel parafinado, também se trata de uma invenção de Thomas Edison. Não obstante, o inventor norte-americano descobriu-o casualmente, já que estava, juntamente com a sua primeira mulher Mary, à procura de uma espécie de película que reproduzisse sons do fonógrafo. As suas lâminas impermeáveis e cobertas de parafina fazem com que este papel seja o ideal para conservar a comida, já que contém substâncias gordurosas, resistindo assim à humidade e sendo flexível.

3. Termómetro digital

Este é o momento em que nos vestimos e saímos à pressa de casa, mas com este tempo tão louco, que deverei vestir? A melhor solução é deixar o termómetro na janela, durante uns minutos: nunca falha. A evolução deste instrumento também passou pelas mãos de Edison, dado que foi ele quem incorporou a resistência elétrica no termóstato, que variava em função da temperatura. Ao mesmo tempo, Thomas Edison realizou uma grande contribuição ao meio ambiente, mesmo sem o saber. Ou, afinal, sim, uma vez que se considera que o mercúrio está entre os seis piores materiais a contaminar o planeta.

4. Bateria elétrica

Quando está tudo pronto, queres pedir um táxi. Encontras o teu smartphone, mas dás-te conta de que te esqueceste de o carregar durante a noite e que está sem bateria. Outra das utilidades que “o mago de Menlo Park” se lembrou. Neste sentido, recolheu o testemunho do cientista sueco Waldemar Jungner e, em 1903, patenteou um acumulador de energia com elétrodos de ferro e níquel. Por certo, um feito cheio de sucesso, já que até 1970 não seriam comercializadas as baterias de lítio.

Além disso, um grupo de engenheiros da Universidade de Stanford devotaram a sua vida em torno das baterias de níquel-ferro. Os investigadores descobriram a otimização de uma tecnologia, agregando a sua particular durabilidade a uma velocidade de carregamento e de descarregamento mil vezes maior do que aquela que foi aprofundada no século XX por Thomas Alva Edison.

5. Microfone de carbono

Se o smartphone não está a funcionar, temos de recorrer ao telefone fixo. A invenção deste dispositivo sempre esteve rodeado de polémica. Num primeiro momento, a mesma foi atribuída a Alexander Graham Bell. Contudo, em junho de 2012, o Congresso dos Estados Unidos outorgou todos os méritos da invenção ao italiano Antonio Meucci, que não o pode patentear em 1871, devido a dificuldades económicas.

Thomas Edison introduziu melhorias notáveis ao sistema. Entre elas, encontra-se o microfone com grão de carbono. As partículas de carbono funcionam como uma espécie de resistência e, portanto, variam a corrente que o atravessa tanto (entre 200 e 300 Hz). É ideal para captar a voz humana.

2.micrófono

6. Radiotelegrafia (antecâmara do rádio)

O táxi espera-te à porta de casa para te levar até ao escritório. Entras e pedes ao motorista que baixe um pouco o volume do rádio. A radiodifusão revolucionou as comunicações no final do século XIX e Edison teve muita culpa no aparecimento deste meio. As suas investigações serviram de precedente a transmissão de sinais mediante a modulação de ondas eletromagnéticas. Conseguiu controlar o mesmo e emitiu descargas elétricas entre objetos metálicos, apenas por contacto elétrico. Edison vendeu as suas descobertas a Guillermo Marconi.

7. Taxímetro

Por fim, chegaste ao teu trabalha e o taxista comunica a bandeirada: “São 15 euros, por favor”. Ainda tens uma dura jornada laboral pela frente, mas ao menos já conheces uma série de utensílios, inventados ou melhorados pelo grande Thomas Alva Edison. E, de igual modo, o criador norte-americano cooperou na criação deste aparelho. Originalmente, o mesmo foi atribuído ao engenheiro alemão Wilhelm Bruhn, mas Edison registou as alterações de temperatura, na ordem de uma milionésima de grau Fahrenheit, que deu origem ao projeto.

De ressalvar que os taxistas da cidade de Stuttgart não ficaram muito agradados que uma máquina regulasse o seu trabalho e, como punição, atiraram Bruhn ao rio Neckar.

Outras invenções curiosas de Edison

Considera-se que Thomas Edison chegou a inventar mais de mil utensílios. À parte da lenda que sempre se gera em redor de um grande personagem, como “o mago de Menlo Park” , Edison foi o pai de vários instrumentos adiantados do seu tempo, como uma máquina de tatuagens, os bonecos falantes e os móveis de betão.

3.tatuajes

Tags: , , , ,

Entradas relacionadas



 

Nanotecnologia com expansão noutras galáxias

Conquistar outros mundos sempre foi, até esta semana, uma missão para qualquer romancista literário ou guionista de c...

Leer más
 

10 curiosidades que não sabias (e que vais querer saber!) sobre Star Wars

A espera chegou ao fim! Estreia HOJE, a nível mundial, o sétimo episódio de “Star Wars: O Despertar da Força”. T...

Leer más
 

A Origem do Black Friday

Já sabemos que o “Black Friday” ou “Sexta-feira Negra” é uma tradição americana, que consiste numa grande ba...

Leer más