Adolf Hitler

1 de Março de 2021

Adolf Hitler nasceu em Braunau am Inn a 20 de abril de 1889 e morreu em Berlim a 30 de abril de 1945.

Adolf Hitler foi o líder supremo da Alemanha nazi desde a altura em que foi nomeado chanceler em 1933. Filho de um funcionário aduaneiro austríaco, era o terceiro filho dos seus pais (primos em primeiro grau).

 

INFÂNCIA

A sua infância foi rodeada pelos maus tratos do seu pai e pela constante mudança. Bom aluno em criança, perdeu o interesse na escola como forma de se revoltar contra o seu pai porque queria que ele fosse um agente alfandegário. Hitler sempre disse ser um pintor frustrado, por isso pintou o máximo que pôde durante a sua vida e até fingiu uma doença para ser expulso da escola aos 16 anos de idade e poder dedicar-se à pintura.

 

Foi então que começou a ler livros históricos e mitologia alemã. Esta obsessão com histórias sobre o povo alemão fez dele um fervoroso nacionalista pangermânico, que abominavam os Habsburgo e a diversidade étnica do Império Austro-Húngaro.

 

Adolf Hitler passou os anos seguintes a viver entre Linz, onde a sua mãe vivia, e Viena, onde após duas tentativas infrutíferas de entrar na Academia de Belas Artes, ganhava a vida a paintar quadros bem como, outros trabalhos como limpa-neves e trabalhador da construção civil.

 

Em 1913, fugiu do Império Austro-Húngaro para evitar o serviço militar, refugiando-se em Munique. Ali, alistou-se nas fileiras alemãs durante a Primeira Guerra Mundial. Após a derrota, a mente de Hitler foi-se afastando para a extrema-direita, acusando os políticos de terem traído a Alemanha ao aceitarem as condições do Tratado de Versalhes.

 

 

COMEÇO NA POLÍTICA

Hitler juntou-se a um partido de extrema-direita e ascendeu às fileiras para se tornar o seu líder. Este partido, o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, declarou-se antissemita, nacionalista, antiliberal, anticomunista e antipacifista.

 

Influenciado por Mussolini, este partido alimentava-se dos receios dos alemães em relação à crise no Estado. A primeira tentativa falhada de tomada do poder foi em 1923, pela qual acabou na prisão durante nove meses, durante os quais escreveu o seu trabalho My Struggle. No mesmo livro escreveu as suas ideias políticas e os padrões a seguir para levar a força ariana ao topo.

 

Assim que saiu da prisão, Hitler reanimou o Partido Nacional Socialista, expulsando todos aqueles que não partilhavam dos seus ideais ou que o podiam ofuscar. Foi então que se rodeou de Goering, Goebbels e Himmler. O trabalho conjunto da sua comitiva deu origem a milhares de alemães insatisfeitos com a crise que o país enfrentava.

 

Gradualmente foram ganhando seguidores até que em 1933 foi nomeado chefe de governo por Hindenburg. Uma vez no poder, destruiu o regime constitucional e estabeleceu uma ditadura de partido único, tendo-se a si próprio como líder. O Terceiro Reich começou, um regime totalitário nacionalista exacerbado com a exaltação da superioridade racial.

 

Após a morte de Hinderburg, Hitler proclamou-se Führer da Alemanha, sujeitando o exército a um juramento de lealdade. Todos aqueles que não o seguiram foram mortos ou gravemente feridos na Noite das Facas Longas em 1934. Além disso, as Leis de Nuremberga foram aceites, abrindo assim o caminho para Hitler exterminar sistematicamente os judeus.

 

Hitler começou a estabelecer fortes laços com outros ditadores europeus como Mussolini ou Franco e a enviar tropas para as suas lutas nos seus países, o prelúdio ideal e terreno de prática para a Segunda Guerra Mundial.

 

SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Em 1939, a Alemanha tinha um exército profissional bem treinado, doutrinado e armado nos últimos anos e com apenas uma ideia na cabeça, o domínio da Europa e do mundo.

Hitler invadiu a Polónia, encontrando a oposição armada da França e da Grã-Bretanha, e a Segunda Guerra Mundial irrompeu. Durante os dois primeiros anos da guerra, o exército alemão derrotou os seus adversários, ocupando a Noruega, Dinamarca, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Jugoslávia e França. Além disso, teve aliados como a Hungria, Roménia, Bulgária, Espanha, Itália e Finlândia.

A Grã-Bretanha resistiu o melhor que pôde às tentativas de invasão e bombardeamentos alemães. Foi então que Hitler decidiu ir para a União Soviética, uma vez que isso lhe daria um enorme território e a porta de entrada para a Ásia.

Os soviéticos contra-atacaram e estavam a tomar terreno e a depauperar o exército alemão. Em 1945, conseguiu tomar Berlim, ajudado pelo exército americano na frente ocidental, derrotando Hitler e o seu reinado de terror.

 

Hitler estava a perder poder e aliados até ficar isolado num bunker na Chancelaria onde se suicidou, pondo fim a um dos ditadores mais sangrentos e temíveis da história.

 

A sua política de extermínio judeu (com milhões de judeus assassinados em campos de concentração), de superioridade ariana e de conquista do mundo sob o seu comando foi deixada para trás.

Contenido relacionado