Como serão os transportes no futuro?

29 de Abril de 2021

Desde que o ser humano se movia a pé, até começar a usar animais para se transportar, passando a utilizar novos meios de transporte, como o comboio ou o avião, muito evoluiu. O que será que o futuro do transporte nos reserva?

              Sempre tentámos tornar o transporte mais eficiente, nomeadamente derivado às questões da poluição, da segurança rodoviária e o tempo que o mesmo demora a fazer as deslocações, uma vez que, atualmente, na nossa sociedade acelerada, o “tempo” é um fator preponderante na vida do ser humano.

 

              De acordo com os filmes de Hollywood, já deveríamos estar a voar pelos céus com carros voadores. Essa ideia de cinema está longe de se concretizar, sem falar que hoje e nas próximas décadas, dificilmente essa ideia se irá tornar realidade. Não se trata apenas de desenvolver essa tecnologia, mas também as pessoas iriam precisar de uma nova educação rodoviária. Além disso, os riscos seriam incalculáveis. Até existem algumas empresas, como já foi adiantado, que pretendem começar com a fabricação de protótipos que voam.

 

 

O que se aproxima é o uso da direção autônoma. Veículos sem motorista já estão na estrada há algum tempo. Exemplo disso são as primeiras marcas a entrar nesta nova era de transporte, como a Tesla e a Mercedes. Os benefícios desse meio de transporte é o que faz as marcas investirem nessa nova tecnologia. Imaginemos uma noite em que não estamos em condição de conduzir ou se existe uma emergência e não há condição para nos sentarmos ao volante. Como todas as inovações, existem defensores e detratores.

 

Uma máquina pode realmente prever o comportamento dos condutores? Esses carros teriam uma série de sensores e câmaras (tanto no carro como nas estradas) que imitariam o instinto de sobrevivência humana para evitar que um carro pare ou reduza a velocidade, ou se algo cair na estrada. No momento, o que cada vez mais veículos estão a incorporar, é o assistente de estacionamento automático. Posto isto, talvez não estejamos tão longe dessa nova era de ver a luz.

 

Elon Musk, fundador da Tesla e diretor de projetos como a Space X, quer estar na vanguarda quanto à revolução do transporte. Se a indústria foi surpreendida com veículos de alta tecnologia da Tesla, agora Elon Musk vais tentar a sorte com os comboios. Por meio da sua empresa The Boring Company, Elon anunciou o primeiro túnel dos seus comboios, Hyperloop. O objetivo desta tecnologia Hyperloop assenta em reduzir o tempo do transporte ferroviário, usando comboio de alta velocidade que prometem conectar Nova Iorque a Washington DC em 30 minutos, ou ir do centro de Los Angeles ao aeroporto em apenas 10 minutos.

 

 

Contudo, sem dúvida, a fantasia que todos nós temos há décadas é o teletransporte. Já conseguiu imaginar ir para o Japão num piscar de olhos? Elon tem vindo a pesquisar como concretizar esse sonho há anos, mas não é uma tarefa fácil ou algo que certamente veremos num futuro próximo. A única maneira de explicar e investigar essa forma é com o teletransporte quântico que envolve descodificar o objeto (destruí-lo ou alterá-lo) e duplicá-lo em outro lugar. Não se sabe se já foi conseguido com partículas, pois a ideia de fazê-lo com seres vivos é ainda questionável. Para que a partícula apareça noutra extremidade, deve haver matéria para a sua criação. Como seria com os seres humanos? Se um corpo for alterado, será que pode ser feito novamente? Seria a mesma pessoa? Por enquanto, o teletransporte terá que ser deixado para filmes e livros de ficção científica.

 

Contenido relacionado