Mitos e lendas da História

12 de Novembro de 2019

Segundo o filólogo e historiador francês Georges Dumézil, “um país sem lendas morreria de frio. Uma nação sem mitos está morta”. Mitos e lendas são histórias que, de uma maneira ou de outra, afetaram o percurso da História e modelaram alguns factos históricos. A sua influência está profundamente enraizada na cultura, a tal ponto que às vezes o mito e a realidade misturam-se. Mitos e lendas têm actuado ao longo da História como propulsores da educação através dos seus costumes e semelhanças. Ensinamentos que estão escondidos entre mistérios, heróis e momentos de grandiloquência.

Actualmente, a ciência assume a razão da evolução humana, embora esse facto actue em detrimento das raízes dos mitos e lendas da imaginação colectiva. Estas são, a título de nota, algumas das lendas e dos mitos mais conhecidos da História.

 

RÓMULO E REMO

Rómulo e Remo, os fundadores de Roma, segundo a lenda, foram amamentados pela loba de Luperca após serem abandonados no rio Tibre. A criatura amamentou-os até crescerem e, posteriormente, foram descobertos por um pastor chamado Fausto e criados pela sua mulher. Embora esta história tenha sido muito debatida, tudo indica que se trata de uma lenda, um mito sobre a fundação de um dos impérios mais importantes de todos os tempos: Roma.

 

AS VALQUÍRIAS

Os mitos eram uma peça-chave da cultura e influenciavam incisiva e decisivamente muitas das decisões tomadas, seja na agricultura, viagens, batalhas, entre outros. Nesse sentido, como no resto das civilizações antigas, os vikings e a cultura escandinava em geral foram influenciados pelos seus próprios mitos e lendas. As valquírias faziam parte da mitologia nórdica. Eram mulheres guerreiras, servas de Odin, que permaneciam imortais e invulneráveis ​​desde que obedecessem aos Deuses e mantivessem intacta a sua virgindade. Eram geralmente representadas como lindas donzelas em cavalos alados com pele pálida. A sua história influenciou a crença do povo em questões como a fertilidade da terra, o esplendor das florestas e a boa saúde das pradarias.

 

TRISTÃO E ISOLDA

O amor como influência na História é um tópico verdadeiramente amplo. Um dos muitos casos que existem é a lenda de Tristão e Isolda, ambos também inseridos na lenda do rei Artur. É a história de amor entre Tristão, um jovem cavaleiro da Távola Redonda e uma princesa irlandesa chamada Isolda. Esta história é uma ocasião perfeita para perceber a influência que mitos e lendas têm em todas as áreas da vida, uma vez que se baseia em tradições que datam a ocupação viking do Reino de Dublin no século X.

 

REI ARTUR

Também a lenda do rei Artur é uma história que ainda confunde muitas pessoas que não sabem distinguir se esta figura era real ou fruto da literatura. Mais uma prova que mostra a linha distorcida que às vezes separa o mito da realidade. Nas primeiras referências da literatura celta, a lenda conta a história de Artur, um rei da Grã-Bretanha. Ele é apresentado como o monarca ideal durante a guerra e no período de paz. Essa lenda foi usada na literatura em inúmeras ocasiões para explicar a Idade Média e muitos dos seus eventos importantes. Ainda que não existam evidências arqueológicas confiáveis ​​para atestar a existência de Artur, em várias ocasiões a existência de Artur foi apresentada como uma pessoa real ou, pelo menos, influenciou uma pessoa real na lenda.

Contenido relacionado