O quadro mais caro de Cézanne

26 de Março de 2020

Uma das referências do pós-impressionismo, Cézanne, foi considerado o pai da pintura moderna. As suas obras foram das mais admiradas ao longo dos anos no mundo da pintura.

Veio de uma família rica, recebeu a melhor educação possível com a ideia imposta pelo pai de seguir advocacia. Após vários conflitos, decidiu mudar-se para Paris e seguir o seu sonho no mundo da pintura. A residir na cidade onde os pintores da época também estavam, a adaptação não foi fácil. A sua aparência e vida de homem da província tornavam-no solitário, sem vontade de se relacionar ou entrar nos círculos boémios que deambulavam pela capital francesa.

Apesar de ser solitário, conseguiu travar amizade com Pissarro, um pintor que o ajudou a encontrar o seu lugar na pintura. Na primeira exposição que promoveu, os críticos e os próprios companheiros reagiram com escárnio e rejeitaram a concepção da sua arte. Porém, continuou a seguir o seu modo particular de pintar naturezas mortas e paisagens. Focava-se nos volumes, no que os seus olhos viam, nas cenas típicas do dia-a-dia. Voltou a exibir mais três vezes as suas peças, mas teve a mesma reacção. Cézanne acabou por sair de Paris e regressar à casa da família em Aix-en-Provence.

 

Após o romance de Emile Zola que o representa como um pintor fracassado, Cézanne começa a ficar mais obcecado com a sua maneira de pintar. Queria capturar a essência da realidade a essência dos objectos, as experiências que vivia. Abdica da linguagem pictórica para retratar algo tão básico na pintura quanto a cor e a forma. Desta nova maneira de fazer arte, nasceu a Les Joueurs de Cartes, sobre os camponeses da sua zona, sem grandes desejos a não ser o de jogar. Cézanne procura não contar mais nada, a não ser uma imagem normal do seu dia a dia.

 

Morreu sozinho e sem sucesso quanto à venda de pinturas e exposições, mas tornou-se uma referência para as novas gerações de pintores que abriram os orientes para um novo estilo artístico, para uma nova narrativa pictórica que influenciou os pintores que se seguiram.

 

Em 2011, uma das suas maiores obras, Les Joueurs de Cartes (1985), entrou em leilão. A pintura foi comprada pela Família Real do Catar, e apesar de se desconhecer o valor exacto pago, sabe-se que oscila entre os 260 e os 320 milhões de dólares. Os peritos qualificam-na como uma das maiores obras de arte, pilar no seu movimento. Durante anos foi a pintura mais cara alguma vez vendida. Actualmente está em terceiro lugar, atrás de “Interchange”, de De Kooning, e “SalvaTor Mundi”, de Leonardo Da Vinci.

Contenido relacionado