Porquê montar a arvóre de natal?

3 de Dezembro de 2019

Chegam as festividades natalícias e, com elas, uma das tradições mais difundidas pelo mundo: montar a árvore de Natal.

Independentemente se mora numa localidade que lembra o Inverno ou no Hemisfério Sul, e vive com temperaturas de 35 graus; o certo é que quando chega o início de Dezembro, uma grande parte da população decora a árvore de Natal (principalmente abetos e pinheiros).

A tradição não tem uma origem clara, existindo várias teorias sobre o início desta data:

1- A origem pode estar na Alemanha, em meados do século VIII. São Bonifácio cortou todas as árvores numa área e, no seu lugar, plantou um pinheiro que simbolizava Deus e que foi adornado com maçãs e velas. As maçãs representavam o pecado e tentações originais e acendiam a luz de Jesus Cristo.

2- A outra teoria terá acontecido na Estónia em meados do século XV. Diz-se que um grupo de pessoas acendeu uma árvore que estava na praça principal da cidade. Assim começou o costume de acender abetos, algo que coincidia com as celebrações do Natal.

Em Espanha, a tradição surgiu em meados do século XIX pela princesa Sofia Troubetzkoy, acostumada a ver esse elemento nas casas ricas da Europa. Assim a princesa ordenou a instalação da árvore no palácio, um edifício ocupado hoje em dia pelo Banco de Espanha.

Em Portugal, a tradição de montar a árvore de Natal surgiu também no século XIX. Mais precisamente em 1844, quando D. Fernando II, príncipe de origem alemã que casou com a Rainha D. Maria II, comprou um pinheiro. D. Fernando II enfeitou o pinheiro com bolas e doces e colocou presentes para cada elemento da sua família. A tradição perdura até hoje.

Contenido relacionado