Segredos e curiosidades da Peste Negra

31 de Março de 2021

A Peste Negra foi uma pandemia que, durante a Idade Média arrasou a Europa e a Ásia. O período mais duro foi vivido entre os anos de 1347 e 1353, em pleno século XIV, causando cerca de 75 milhões de mortos, sendo considerada a pandemia mais mortal da história da humanidade.

Estes são os factos que todos nós conhecemos, contudo, existem curiosidades em torno da Peste Negra que poderá não conhecer, tais como:

 

A MÁSCARA EM FORMA DE PÁSSARO

A máscara utilizada pelos doutores tornou o cenário pior do que a própria situação. Certo era que a cavidade em forma de bico de corvo tinha uma função importante, contudo, sem utilidade. Na ponta do bico era depositado uma mistura de ervas aromáticas e outras substâncias conhecidas como “teriaga” ou “triaga”, que desempenhava dupla função: evitar os maus odores da peste que provinham de doentes e cadáveres e proteger do ar miasmático. Um ar poluído que, até ao surgimento da teoria microbiana, se acreditava ser causador e transmissor de doenças. Mais tarde comprovou-se que a máscara não tinha esse caráter protetor contra a doença.

 

SEIS SÉCULOS DE DURAÇÃO

            A peste bubónica, que é a forma mais comum da peste, era provocada pela picada de uma pulga infetada, sendo que esta não foi considerada inativa até 1959. Só aí é que a Organização Mundial de Saúde declarou a doença como extinta, contudo, não se deve confundir pandemia com doença, uma vez que a doença permanece ativa, embora a sua incidência seja mínima.

 

QUARENTENA

O termo “quarentena”, não surgiu até ao aparecimento da Peste Negra. Segundo historiadores, foi em Veneza que o termo começou a ser usado “oficialmente”, provindo do nome “quaranta giorni”. Acredita-se que não tenha uma explicação científica, mas sim do número de dias que Jesus passou no deserto, segundo a bíblia.

 

ORIGEM DIVINA

A teoria de origem divina, foi o fundamento utilizado para explicar a origem da Peste Negra, sendo que, infelizmente, também existiam teorias antissemitas. Esta era a teoria mais difundida, baseando-se na crença de que a doença havia sido enviada por Deus como um castigo pelos maus comportamentos da humanidade. A influência da teoria fez emergir a figura dos flagelantes, membros de uma irmandade que seguiam firmemente a teoria, concentrando-se em cidades e vilas com o objetivo de atormentar e espiar os pecados da humanidade. Com o passar do tempo, esse grupo tornou-se extremamente agressivo, radicalizando os seus ideais originais, apoiados na ideia de que os judeus eram culpados pelo aparecimento da Peste Negra. Felizmente, também existiam teorias científicas.

 

ATUALIDADE

Embora esta pandemia, brutalmente mortal, tenha sido há 6 séculos, a doença que a causou continua a ser investigada. O biólogo evolucionista, Hendrik Poinar, está a tentar descobrir os segredos da doença que matou milhões de pessoas.

Acredita-se que o seu conhecimento poderá ajudar a combater doenças infeciosas mortais e, possivelmente, salvar milhões de vidas. A sua pesquisa centra-se em decifrar o código genético da Peste Negra e mudar a forma como lutamos contra as doenças infeciosas.

Contenido relacionado