As Rotas da Escravatura: As Novas Fronteras da Escravatura

Em Londres, Paris e Washington, o movimento abolicionista ganhava força. Depois da rebelião de escravos em Santo Domingo, e perante a crescente indignação da opinião pública, as grandes potências europeias aboliram o tráfico transatlântico em 1807.Contudo, a Europa, em plena Revolução Industrial, não podia passar sem a mão-de-obra escrava. Para suprir as suas necessidades de matérias-primas, levou mais além as fronteiras da escravatura, e fechou os olhos às novas formas de exploração humana no Brasil, nos EUA e em África.Numa altura em que o comércio legal de escravos foi, finalmente, proibido, a deportação de africanos explodiria, tornando-se mais importante do que nunca. Em 50 anos, foram desterradas quase 2,5 milhões de pessoas.