As Rotas da Escravatura: Do Açúcar Até à Revolta

Século XVII. O Atlântico tornou-se o campo de batalha da guerra do açúcar. Franceses, Ingleses, Neerlandeses e Espanhóis lutavam pelas Caraíbas, para cultivar cana-de-açúcar. Para satisfazer os seus desejos de fortuna, os reinos europeus abriram novas rotas de escravos entre África e as ilhas do Novo Mundo. Com a cumplicidade dos bancos e das seguradoras, industrializaram os seus métodos, elevando o número de deportados para valores sem precedentes. Encurralados, quase sete milhões de africanos viram-se no centro de um gigantesco turbilhão de violência.