Mundos perdidos: As Cidades Secretas da Bomba Atómica

Em 1939, um grupo de cientistas, entre eles Albert Einstein, advertiu o presidente dos Estados Unidos, Roosevelt, da possibilidade de a Alemanha de Hitler estar a planear a elaboração de uma bomba atómica. Roosevelt emitiu uma ordem: Os Estados Unidos deviam ser o primeiro a desenvolver a bomba atómica, sem olhar ao custo. Num prazo de três anos, o país já se tinha encaminhado para a criação de um mundo escondido de cidades secretas e instalações nucleares classificadas. Tudo construído na América. Quatrocentas mil pessoas faziam parte do plano, embora só um punhado soubesse realmente a verdade. Seis décadas mais tarde, uma equipa de peritos regressa a estes lugares, onde se decidiu o curso da história: três cidades secretas construídas nas zonas isoladas de Tennessee, Novo México e o estado de Washington, que constituiriam o programa de engenharia mais dispendioso em termos de dinheiro e de trabalho levado a cabo alguma vez visto.